| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

Kessi Jones de Paula Viana

Page history last edited by rosangelamenta 13 years, 5 months ago


Visitante nº

 

 

Roteiro de trabalho

 

Aluno mestre: KESSE JONES

Proposta de aula para a turma:ALFABETIZAÇÃO

Escola/instituição:APAE

Diciplina:EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Bimestre:

Carga Horária:

Titulo/Tema:TIPOS DE MORADIAS

 

OBJETIVOS ESPECIFICOS:

 

Conhecer a importância das moradias em nossa comunidade para que os qlunos debatam entre eles e observem quais tipos de casas têm do trajeto de sua residência até a escola. Após a analise dos estudantes se concientizaram que as moradias devem serem construidas em lugar seguro;através de imagens mostrar os lugares que não são propícios para as moradias.

 

PRÁTICA SICIAL INICIAL DO CONTEÚDO:

 

LISTAGEM:

CONTEÚDO:                                                                      EIXOS/LINGUAGENS:

 

  • Tipos de moradias                                                      Exploração de recursos

  • Benificios das moradias                                             Formação de conceito

  • Importâncias das casas                                              Relações sociais

  • urbanização                                                                Valores coletivo

 

CONHECIMENTOS PRÉVIOS TRABALHADOS PELO PROFESSOR COM O ALUNO:

 

Professor conversse com os estudantes sobre o tema:moradias;se é importante eles terem uma moradias. Como é a construção de suas casas (madeira,tijolos,etc.).Neste primeiro momento é importante que o professor estimule seus alunos a entrevistarem seua pais e avós e moradores antigos da comunidade, relatando tudo sobre a história da comunidade e as casa que tinha nessa época.

 

PROBLEMATIZAÇÃO:

 

Diante das questões levantadas pela turma, vamos definir as que são mais significativas para o estudo de moradis na história da humanidade.É importante que neste momento, o professor faça um desafio ,ou seja, estabeleça uma necessidade para que o educando, através de sua ação,busque o conhecimento.

 

LINGUAGEM:

 

Dimensão Cientifica: Qual a importância da moradia na nossa vida?Que beníficios nos trazem?

Dimensão Social: Como as populações se estabelecem ao longo dos anos?Existem diferença entre classe sociais e economicasna localização dentro da cidade?Pode-se questionar as condições de moradias da população de Ribeirinha?

Dimensão histórico:Qual a importância das casas para a evolução da humanidade?Como eram as moradias na antiguidade e nosdias atuais?Que materiais são utilizados?

 

INSTRUMENTALIZAÇÃO/DESENVOLVIMENTO:

 

ATIVIDADE 1:

Para começar a aula,comece contando as hisória dos três Porquinho.E a partir da história começa o debate:

_Quem eram os personagens da história?

_O que aconteceu durante a história?

_Porque os porquinhos tinham medo do lobo?

_Como eram a construção das casas dos porquinhos?

_Existem, ainda hoje,construções deste tipo?(palha,madeira,tijolos)?

_Vocês sabem como eram aas construções antigas?Como seus pais e avós morava?

 

ATIVIDADE 2:

É importante que os estudantes conheçam como a humanidade vem construindo suas moradias no decorrer dos tempos.

Faça relatos da história das casas desde a antiguidade até os dias atuais no Brasil. Perguntar como que são as casas de pessoas com baixa renda e de pessoas com classe. É imprescindivel que o professor em dialogo como os estudantes estabeleça uma relação da evolução da humanidade com sua comunidade realçando quais os avanços em relação as moradias e como a população,orgãos públicos têm contribuido para o estado atual das casas de sua região em relação ao meio ambiente.

 

ATIVIDADE 3:

Organize os móveis e semicírculos e solicite que os estudantes compartilhem suas pesquisas com a comunidade e familiares sobre as moradias (propostos na problematização solicite que seja escolhido uma pessoa para relatar a sintese da discusão).

 

ATIVIDADE 4:

Dividir a turma em 2 grupos e sortear um tema de pesquisa para cada um dos grupos. Essas pesquisas serão realizadas na internet,revistas,jornais e em livros.

            *Moradias na antiguidade e nos dias atuais.

            *Quais os tipos de moradias existentes.

 

ATIVIDADE 5:

Retomar as pesquisas realizadas com os pais e avós pessoas da comunidade sobre como as moradias tem sido importante na comunidade, discutir com os estudantes,fazendo um contraponto entre as pesquisas iniciais e o estudo realizado. Encentivando seus alunos a expressarem suas opiniões.

 

RECURSOS PEDAGÓGICOS NECESSÁR5IO PARA A AULA:

 

            *História dos três Porquinhos

            *Casas de palha, madeira e tijolos em eva.Para terem uma noção de como é as moradias.

 

CATARSE:

 

Chegamos ao momento em que os alunos se aproximam da expressão da solução do problema inicial. Passariamos elaboração teórica da sintese, isto é, da nova postura mental. Pode ser feito uma exposição de fotos antigas da comunidade, demonstrando como foi construido casas durante esse periodo.

 

O estudante deverá compreender a necessidade de se planejar o local onde serão realizadas as construções de residências, tendo em vista os seguintes fatores: poluição, alagamento, desmoronamento, tipos de construção.

 

SINTESE;

 

Elaboração de redação ,história ou de desenho livre um texto que expresse a sintese da aula.

Este texto também pode ser realizado coletivamente.

 

AVALIAÇÃO:

 

A avaliação será realizadas no decorrer das atividades, inicialmente observando a aprendizagem dos estudantes, analisando seus questionamentos e intervenções, procurando através de dialogo, perceber se houve apropriação dos conteúdos propostos. O professor acompahará a leitura das produções do estudantes,fazendo as instruções necessárias, retomando os temas conforme a necessidade.

 

PÁTICA SOCIAL FINAL DO CONTEÚDO:

 

INTENÇÕES DO ALUNO:

 

Além das sugeridas pelos alunos:Propor para os alunos que fassam um texto sobre suas intenções e coloque na internet, com os novos rumos que podem dar para quem faz suas casas em lugares de grande risco.

 

AÇÕES DO ALUNO:

 

Sugestões de panfletos concientizando a sua comunidade a não fazer casas em lugar de risco como:morros,beira de rio e outros lugares.

 

REFERÊNCIAS DE TODOS OS RECURSOS UTILIZADOS:

 

http//www.qdivertido.com.br/verconto.php?codigo=24

http://www.ecodebate.com.br/2010/04/10/video-prefeitura-poderia-ter-evitado-tragedia-em-niteroi/

http://www.ecodebate.com.br/2008/07/30/video-moradia-precaria/

http://www.atarde.com.br/arquivos/2008/09/48176.jpg

http://gollnick.blog.terra.com.br/files/2009/03/cheia_1_1.jpg

http://images03.olx.pt/ui/1/13/43/4831043_2.jpghttp://images01.olx.pt/ui/1/39/39/12103039_1.jpg

 

ANEXOS:

 

HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS:

Era uma vez, na época em que os animais falavam, três porquinhos que viviam felizes e despreocupados na casa da mãe.
A mãe era ótima, cozinhava, passava e fazia tudo pelos filhos. Porém, dois dos filhos não a ajudavam em nada e o terceiro sofria em ver sua mãe trabalhando sem parar.
Certo dia, a mãe chamou os porquinhos e disse:
__Queridos filhos, vocês já estão bem crescidos. Já é hora de terem mais responsabilidades para isso, é bom morarem sozinhos.
A mãe então preparou um lanche reforçado para seus filhos e dividiu entre os três suas economias para que pudessem comprar material e construírem uma casa.
Estava um bonito dia, ensolarado e brilhante. A mãe porca despediu-se dos seus filhos:
__Cuidem-se! Sejam sempre unidos! - desejou a mãe.
Os três porquinhos, então, partiram pela floresta em busca de um bom lugar para construírem a casa. Porém, no caminho começaram a discordar com relação ao material que usariam para construir o novo lar.
Cada porquinho queria usar um material diferente.
O primeiro porquinho, um dos preguiçosos foi logo dizendo:
__ Não quero ter muito trabalho! Dá para construir uma boa casa com um monte de palha e ainda sobra dinheiro para comprar outras coisas.
O porquinho mais sábio advertiu:
__ Uma casa de palha não é nada segura.
O outro porquinho preguiçoso, o irmão do meio, também deu seu palpite:
__ Prefiro uma casa de madeira, é mais resistente e muito prática. Quero ter muito tempo para descansar e brincar.
__ Uma casa toda de madeira também não é segura - comentou o mais velho- Como você vai se proteger do frio? E se um lobo aparecer, como vai se proteger?
__ Eu nunca vi um lobo por essas bandas e, se fizer frio, acendo uma fogueira para me aquecer! - respondeu o irmão do meio- E você, o que pretende fazer, vai brincar conosco depois da construção da casa?

Contos, fabulas e historinhas: Os  Três Porquinhos

__Já que cada um vai fazer uma casa, eu farei uma casa de tijolos, que é resistente. Só quando acabar é que poderei brincar. – Respondeu o mais velho.
O porquinho mais velho, o trabalhador, pensava na segurança e no conforto do novo lar.
Os irmãos mais novos preocupavam-se em não gastar tempo trabalhando.
__Não vamos enfrentar nenhum perigo para ter a necessidade de construir uma casa resistente. - Disse um dos preguiçosos.
Cada porquinho escolheu um canto da floresta para construir as respectivas casas. Contudo, as casas seriam próximas.
O Porquinho da casa de palha, comprou a palha e em poucos minutos construiu sua morada. Já estava descansando quando o irmão do meio, que havia construído a casa de madeira chegou chamando-o para ir ver a sua casa.
Ainda era manhã quando os dois porquinhos se dirigiram para a casa do porquinho mais velho, que construía com tijolos sua morada.
__Nossa! Você ainda não acabou! Não está nem na metade! Nós agora vamos almoçar e depois brincar. – disse irônico, o porquinho do meio.
O porquinho mais velho porém não ligou para os comentários, nem par a as risadinhas, continuou a trabalhar, preparava o cimento e montava as paredes de tijolos. Após três dias de trabalho intenso, a casa de tijolos estava pronta, e era linda!
Os dias foram passando, até que um lobo percebeu que havia porquinhos morando naquela parte da floresta. O Lobo sentiu sua barriga roncar de fome, só pensava em comer os porquinhos.
Foi então bater na porta do porquinho mais novo, o da casa de palha. O porquinho antes de abrir a porta olhou pela janela e avistando o lobo começou a tremer de medo.
O Lobo bateu mais uma vez, o porquinho então, resolveu tentar intimidar o lobo:
__ Vá embora! Só abrirei a porta para o meu pai, o grande leão!- mentiu o porquinho cheio de medo.
__ Leão é? Não sabia que leão era pai de porquinho. Abra já essa porta. – Disse o lobo com um grito assustador.
O porquinho continuou quieto, tremendo de medo.
__Se você não abrir por bem, abrirei à força. Eu ou soprar, vou soprar muito forte e sua casa irá voar.
O porquinho ficou desesperado, mas continuou resistindo. Até que o lobo soprou um a vez e nada aconteceu, soprou novamente e da palha da casinha nada restou, a casa voou pelos ares. O porquinho desesperado correu em direção à casinha de madeira do seu irmão.
O lobo correu atrás.
Chagando lá, o irmão do meio estava sentado na varanda da casinha.
__Corre, corre entra dentro da casa! O lobo vem vindo! – gritou desesperado, correndo o porquinho mais novo.
Os dois porquinhos entraram bem a tempo na casa, o lobo chegou logo atrás batendo com força na porta.
Os porquinhos tremiam de medo. O lobo então bateu na porta dizendo:
__Porquinhos, deixem eu entrar só um pouquinho! __ De forma alguma Seu Lobo, vá embora e nos deixe em paz.- disseram os porquinhos.
__ Então eu vou soprar e soprar e farei a casinha voar. O lobo então furioso e esfomeado, encheu o peito de ar e soprou forte a casinha de madeira que não agüentou e caiu.
Os porquinhos aproveitaram a falta de fôlego do lobo e correram para a casinha do irmão mais velho.
Chegando lá pediram ajuda ao mesmo.
__Entrem, deixem esse lobo comigo!- disse confiante o porquinho mais velho.
Logo o lobo chegou e tornou a atormentá-los:
__ Porquinhos, porquinhos, deixem-me entrar, é só um pouquinho!
__Pode esperar sentado seu lobo mentiroso.- respondeu o porquinho mais velho.
__ Já que é assim, preparem-se para correr. Essa casa em poucos minutos irá voar! O lobo encheu seus pulmões de ar e soprou a casinha de tijolos que nada sofreu.
Soprou novamente mais forte e nada.
Resolveu então se jogar contra a casa na tentativa de derrubá-la. Mas nada abalava a sólida casa.
O lobo resolveu então voltar para a sua toca e descansar até o dia seguinte.
Os porquinhos assistiram a tudo pela janela do andar superior da casa. Os dois mais novos comemoraram quando perceberam que o lobo foi embora.
__ Calma , não comemorem ainda! Esse lobo é muito esperto, ele não desistirá antes de aprende ruma lição.- Advertiu o porquinho mais velho.
No dia seguinte bem cedo o lobo estava de volta à casa de tijolos. Disfarçado de vendedor de frutas.
__ Quem quer comprar frutas fresquinhas?- gritava o lobo se aproximando da casa de tijolos.
Os dois porquinhos mais novos ficaram com muita vontade de comer maçãs e iam abrir a porta quando o irmão mais velho entrou na frente deles e disse: -__ Nunca passou ninguém vendendo nada por aqui antes, não é suspeito que na manhã seguinte do aparecimento do lobo, surja um vendedor?
Os irmãos acreditaram que era realmente um vendedor, mas resolveram esperar mais um pouco.
O lobo disfarçado bateu novamente na porta e perguntou:
__ Frutas fresquinhas, quem vai querer?
Os porquinhos responderam:
__ Não, obrigado.
O lobo insistiu:
Tome peguem três sem pagar nada, é um presente.
__ Muito obrigado, mas não queremos, temos muitas frutas aqui.
O lobo furioso se revelou:
__ Abram logo, poupo um de vocês!
Os porquinhos nada responderam e ficaram aliviados por não terem caído na mentira do falso vendedor.
De repente ouviram um barulho no teto. O lobo havia encostado uma escada e estava subindo no telhado.
Imediatamente o porquinho mais velho aumentou o fogo da lareira, na qual cozinhavam uma sopa de legumes.
O lobo se jogou dentro da chaminé, na intenção de surpreender os porquinho entrando pela lareira. Foi quando ele caiu bem dentro do caldeirão de sopa fervendo.
___AUUUUUUU!- Uivou o lobo de dor, saiu correndo em disparada em direção à porta e nunca mais foi visto por aquelas terras.
Os três porquinhos, pois, decidiram morar juntos daquele dia em diante. Os mais novos concordaram que precisavam trabalhar além de descansar e brincar.
Pouco tempo depois, a mãe dos porquinhos não agüentando as saudades, foi morar com os filhos.
Todos viveram felizes e em harmonia na linda casinha de tijolos.

 


 

                                                   Planejamento sobre Afro-Descedente

 

Aluno: Kesse Jones Paula Viana

Proposta: Formação de Conceito/História

Turma: 3/4 Série

 

Tema: EXCLUSÃO DO NEGRO

 

OBJETIVOS:

 

  • Conhecer a cultura afro e a sua influência na cultura brasileira, mostrar aos estudantes que não se pode descriminar uma pessoa pela sua cor ou outra particulariedade e sim, valorizá-lo pelo que ele é realmente.

 

EIXO:

  • Cientifico:Formação de Conceito
  • Ético-Politico:Relações Sociais

 

CONHECIMENTOS PRÉVIOS:

 

  • Professor!converse com a sua turma o que eles entenderamporexclusão do negro;e se eles já presenciaram alguma descriminação. Verifique se há negros entre os alunos:

 

PROBLEMATIZAÇÃO:

  • Diante das questões levantadas no debate, definir as que são mais significativas, para que possam ter uma noção básica sobre descriminação de uma pessoa, pala sua cor ou raça.

 

DIMENSÕES:

Cientifico:

_Devemos julgar uma pessoa pela sua cor?

_Eles são iguais a nós, ou são diferentes só por causa de suas cores?

_O que é ser negro?

 

Ético-politico:

_Como deve ser as relações humanas com as pessoas negras?

 

HISTÓRICA:

_Há quanto tempo o negro vem sendo descriminado pela nossa sociedade?

Dependendo do debate fica a disposição para o professor fazer mais algumas perguntas, fora as estão acima.

 

ATIVIDADE 1;

 

ATIVIDADE 2:

  • É importante que os alunos conheçam a cultura do afro, e como ela vem transformando ao longo dos anos.
  • Faça com eles um relátorio da exclusão dso negro na sociedade, que poderá ser postado no blog da turma.

 

ATIVIDADE 3:

  • Propor para os alunos que façam uma pesquisa de um dos dois temas a seguir.

                                            *Exclusão do negro na sociedade

                                            *A cultura do Afro-Brasileiro

 

http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml

http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml

 

ATIVIDADE 4:

  • Retomar as pesquisas no dia seguinte, para que cada grupo possa apresentar o que pesquisou.

 

RECURSOS PEDAGÓGICOS NECESSÁRIO PARA A AULA:

  • Texto exclusão do negro

http://www.youtube.com/watch?v=apPKTBM1k9w

http://www.youtube.com/watch?v=8S_QC6ETINk&feature=fvw

 

CATARSE:

  • É nesse momento que podemos notar qual será a expressão do aluno diante a exclusão do negro na sociedade. Passariamos a elaborar um conceito sobre a exclusão e descriminação.

 

SINTESE:

  • Professor propor para o aluno um desenho livre expressando sua ideia final.

 

AVALIAÇÃO:

  • A avaliação será feita no decorrer das duas aulas, inicialmente observando a aprendizagem sobre a cultura Afro-Brasileira e também a partir de seus desenhos.

 

PRÁTICA SOCIAL FINAL DO CONTEÚDO:

 

Intenções do Aluno:

 

  • Além das sugeridas pelos alunos. Propor para os alunos que fassam um texto no computador.

 

Ações do Aluno:

  • Utilizar os textos produzidos ,pela turtma para publicar num jornal a ser destribuido na comunidade.

 

REFERENCIAS DE TODOS OS RE CURSOS UTILIZADOS:

 

http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml

http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml

http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml

http://www.youtube.com/watch?v=apPKTBM1k9w

http://www.youtube.com/watch?v=8S_QC6ETINk&feature=fvw

http://editoracontexto.com.br/blog/?p=73

 


Aluno: Kesse Jones de Paula Viana

Série: 5º

Carga horária: 4h

 

 

INFORMAÇÕES DA AULA:

 

O QUE O ALUNO PODERÁ APRENDER COM ESTA AULA:

 

  •     Poderá aprender que não se deve praticar bullying, ou seja, não fazer piadas das pessoas, e nem pelo seu gênero sexual.

 

CONHECIMENTOS PRÉVIOS TRABALHADOS PELO PROFESSOR COM O ALUNO:

  • Não há necessidade. 

 

PROCEDIMENTOS:

 

OBSERVAÇÃO DA REALIDADE:

    Iniciar a aula com um diálogo com os alunos e abordando as seguintes questões:

  • Vocês já presenciaram alguma cena de descriminação ou bullying?
  • Quantas vezes?
  • Onde?
  • Na sua casa já houve bullying? 

   E a partir das respostas começar a aula

 

PONTOS CHAVES:

 

Diante aos dados levantados pela turma, procurar fazê-los reflitirem sobre este assunto.

Nossa sugestão é o seguinte:

  • O preconceito é mais praticado em que lugar? Na rua, na escola, na casa ou na comunidade?

 

A partir deste questionamento, vamos organizar um debate com os estudantes, para levantar os pontos chaves sobre o bullying, que serão estudados nas aulas a seguir. Professor! Defina com os alunos quem será o relator e quem cronometrará a discussão. Sugerimos 15 minutos. 

 

TEORIZAÇÃO:

 

Atividade 1:

 

Diante das hípoteses levantadas pela turma, solicitar que o relator destaque os principais pontos.

Com base nestes dados vamos pesquisar quais são as teorias que esplicam estes conceitos:

Sugestões de temas :

  • bullyng
  • preconceito
  • gênero

 

Sugestões de sites:

 

 

Professor! Organize a turma em forma de painel para apresentar as pesquisas, fazer as discussões e a seguir assistir o vídeo da atividade 2.

 

Atividade 2:

Sugestão de video :

  FONTE: http://www.youtube.com/watch?=-90pncxtscm&feituc=related  

 

ROTEIRO DE DISCUSSÃO:

  • Que cenas vocês veêm nesse filme?
  • Quem praticava essa ação?
  • Qual o papel do ator principal?
  • Vocês concordoam com as cenas? 

 

Sugerimos a produção de uma história em quadrinhos que envolva o tema vivenciado pelos estudantes, mas ao mesmo tempo, que indique as ações positivas, para resolver estes problemas levantados.

 

Exemplo:

 

FONTE: http://netica.org.br/thumbnails/0000/0217/HQ-02_display.png?1253910992

 

Hipóteses de soluções:

 

Com os conceitos descutidos e construidos durante a teorização, sugerimos a divisão do quadro de giz em 3 partes:

  • Colocando no primeiro tópicos e as principais idéias levantadas pelos alunos.
  • No segundo resgistramos novos conceitos
  • No último as alternativas de ações que os estudantes podem assumir diante das questões levantadas.

 

APLICAÇÃO A REALIDADE:

 

Com base nas discussões convide os estudantes a propor uma ação, seguindo o roteiro abaixo, sugerido pela Prof. Neusi Bergel:

 

  • O que fazer?
  • Como fazer,em que condições?
  • Com que estratégias?
  • Com que recursos?
  • Para obter que efeitos ?
  • Com que finalidade e para benificiar quem?

 

 

CONDIÇÕES OBJETIVAS:

 

   *Nivel de condicionamento necessário

   *Disponibilidade das pessoas envolvidas

   *Autoridade:poder necessário para interação na temática apresentada

   *Uso das estratégias:momentos oportunos para efetivarmos nossa ações

   *Grau de comprometimento e conciência social necessário para o sucesso proposto

 

RECURSOS COMPLEMENTARES:

 

  • Apresentar um texto individual, dissertatativo, com argumentos que fundamentem as questões levantadas e propostas de ação junto a comunidade. As propostas serão posteriormente descritas e apresentadas para a turma, selecinadas para que possam ser publicadas no site da escola.

 

AVALIAÇÃO:

Como você, situa-se diante das seguintes questões?

 

Auto-Avaliação

Iniciante

4,0 pontos

Aprendiz

6,0 pontos

Profissional

8,0 pontos

Mestre

10,0 pontos

Na sala de aula

Esteve presente

Contribuiu nas discussões

Participou com bons argumentos

Participou ativamente com argumentos bem fundamentados

Pesquise sobre o tema e entrevista solicitada

Acompanhou as atividades do grupo

Procurou participar e realizar o proposto

Empenhou-se na compreensão do tema e elaborou com todos, apresentando as atividades solicitadas

Participou ativamente em todos os momentos, contribuiu com todas as pesquisas e discussões

Texto dissertativo

Teve dificuldades

Elaborou o texto com alguns argumentos

Produziu um texto fundamentado nas pesquisas

Produziu um texto bem fundamentado com argumentos além dos pesquisados

Informativo

Participou da elaboração

Colaborou com sugestões

Contribuiu com vários tópicos de texto

Apresentou vários recursos para a composição do texto e ótimas ideias

 

REFERENCIAS:

  • BEBEL NELSI APARECIDA NAVS.A METODOLOGIA DA PROBLEMATIZAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O PLANO DA PRÁXIS.REVISTA.LONDRINA.V.17.EDIÇÃO ESPECIAL.P.7 A 12.NOV.1996.
  • HTTP://WWW.YOUTUBE.COM  


 ARTIGO:

 

RELAÇÃO PROFESSOR E ALUNO

 

O presente artigo estará explicando como que é a relação do professor com o aluno. As relações embora seja complexa, ou profissional do indivíduo. Dessa maneira o aprender se torna interessante para o aluno quando ele se sente completamente pelas atitudes e também métodos de motivação.

O professor deve falar que seu papel é de facilitar aprendizagem do aluno, para abrir novas expêrincias . Os sentimentos, problemas do aluno devem serem trabalhados,para serem resolvidos. O trabalho de um professor em sala de aula é o relacionamento como aluno.

Sendo assim, o objetivo deste trabalho é perceber através da prática de observação vivenciada, a relação entre professor e aluno.

As relações, embora sejam complexas são peças fundamentais na realização do comportamento profissional da pessoa, o relacionamento entre o professor com o seu aluno envolve interesses e intenções. É o professor que estabelece as regras para que o comportamento ao aluno seja qualitativo, o aluno com seu comportamento diante do professor consegue agir com seus intyeresss sem serem prejudicados na aula. Sendo esta interação das consequencias da educação de fontes imp-ortantes para os desenvolvimento do comportamento e unir os seus alunos.

O aluno e o professor devem ter conciência das consequencias de sua atitude, a educação pode ser como fonte de aprendizagem que os alunos conseguiram imcomplementar seu estudo. Nestes sentido a interação estabelecida caracteriza-se pela seleção de conteúdos, sistematização didática para facilitar o aprendizado do aluno. O aluno com sua organização dos conteúdos pode facilitar ou também dificultar na aprendizagem.

O comportamento do professor pode se relacionar no comportamento do aluno; o aluno muitas vezes em tempo de estudo observou foi bom tentará ser professor no futuro.

O educador para colo0car em prática, ele deve ser exposto como principio de saber primeiro que o professor não sabe tudo mas poder correr atráz para seu conhecimento.

A relação do professor é dependente fundamental, assim o clima do professor tem capacidade de ouvir, refletir e descutir sobre os seus alunos e seus conhecimentos.

Durante a observação que fizemos nos CEMEIs podemos observar como que os professores, trabalhavam com as crianças que eram pequeninas, como que ele conversava com ele, explicava a matéria para eles, a gente pensa que não vai adiantar nada mas eles aprendem mais que crianças grandes, eles aprendem brincando.

No CEMEIs alguns professores treabalham usando dinemicas sobre o assunto proposto. Quando mais recursos a CEMEIs utilizar as aulas ficarão mais proveitosa.

 

 

 

Comments (7)

Kathleen Károl Slivak said

at 10:59 am on Dec 3, 2010

Sandra M da S. Messias said

at 11:11 am on Dec 3, 2010

oi kesse seu plano e artigo ficaram otimos ,bom menino bjusssssssssssssssss

Kesia P. F. Ribeiro da Luz said

at 11:17 am on Dec 3, 2010

kesse muito legal seu artigo sobre professor aluno esse tema é muito interessante para que haja respeito de ambos os lados

Lenice da Silva said

at 11:22 am on Dec 3, 2010

kesse seu artigo sobre relação de professor e aluno é muito intereçante o aluno muitas das vezes passa do limite mas mesmo assim deve aver respeito..

Brenda Rodrigues Rocha said

at 1:47 pm on Dec 6, 2010

kesse gostei muito de seu artigo quando voce cita a realidade que vivemos ate com nossos professores ''embora sejam complexas são peças fundamentais na realização do comportamento profissional da pessoa, o relacionamento entre o professor com o seu aluno envolve interesses e intenções''.adorei seu relato

Francine Angeline Jacumasso said

at 2:43 pm on Dec 7, 2010

Kessi seu artigo esta relatando apenas a verdade pois quando falamos em relação professor aluno é meo complicado, mais os alunos e porfessores deve ter um relacionamento otimo, gostei muito de seu artigo.

Kessi Jones de Paula Viana said

at 10:00 am on Dec 9, 2010

Meu artigo apesar de ser pouco retrata a verdade pois a relação professor e aluno devem ser boa mas muitas vezes professores e aluno entram em conflitos.A cassos de aluno que até matam professores por causa de notas baixas que por sua vez é aluno que deve tirar notas boas

You don't have permission to comment on this page.